Dia do Patrimônio Mundial Africano

Dia do Patrimônio Mundial Africano realça legado às gerações futuras

Ilha de Moçambique, designada Patrimônio da Humanidade em 1991.

Comemorações fecham o 5º Fórum Juvenil sobre o tema; concerto celebra a data no Instagram; Unesco junta-se a apelos realçando a urgência de proteger e preservar herança do continente.

Este 5 de maio é o Dia do Patrimônio Mundial Africano. Este ano, a data é comemorada sob o lema "Arte, cultura e patrimônio: Alavancas para construção da África que Queremos”.

Minusma/Olivier Salgado

Cidade maliana de Timbuktu, conhecida por ser um rico centro cultural.

Os eventos desta quinta-feira coincidem com o fim do 5º Fórum Juvenil do Patrimônio Mundial Africano. Um concerto musical ao vivo no Instagram também destacará a data em nível global.

Promoção

O patrimônio cultural, natural tangível e imaterial do continente é celebrado pelo sexto ano, para aumentar a consciência sobre os benefícios da sua promoção e preservação. Outra meta é realçar os desafios que o continente enfrenta nessa área.

_Ouri Pota_

Ilha de Moçambique, designada Patrimônio da Humanidade em 1991.

Entre eles estão as alterações climáticas, os conflitos armados e, mais recentemente, a pandemia. Juntos, estes fatores obrigam a garantir que o patrimônio regional se adapte e cresça nessas circunstâncias.

Na Lista do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, o continente tem somente uma representação de 8,5% de todas as propriedades inscritas do planeta.

A África Oriental tem 34 locais naturais e culturais inscritos na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo, um nível considerado sub-representado diante das ameaças atuais.

Resiliência

Com a exploração descontrolada, a caça furtiva e a instabilidade, muitos locais do Patrimônio Mundial em África correm o risco de perder o valor universal.

Por isso, a data realça a urgência de proteger e preservar esses recursos para as gerações futuras.

Nesse sentido, a União Africana declarou 2021 como o “Ano das Artes, Cultura e Patrimônio da UA: Alavancas para Construir a África que Queremos”.

A Unesco comemora e colabora com o Fundo do Patrimônio Mundial Africano e parceiros na série de eventos agendados para o continente destacando a resiliência, as oportunidades, a riqueza e as soluções para desafios que a herança africana enfrenta.

Unesco/Joost De Raeymaeker

A capital do antigo reino do Congo, M'Banza Kongo, em Angola, está na lista de locais Patrimônio da Humanidade