Justiça

Moraes diz que 'voto eletrônico não será coagido pelas milícias digitais'

"Quem ataca as instituições, quem não acredita nas instituições não acredita no País”, disse o ministro do STF

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes afirmou que as eleições de outubro deste ano não sofrerão coação por parte das milícias digitais. Segundo Moraes, não serão as milícias “que vão tirar a legitimidade” a legitimidade das urnas eletrônicas do Brasil, que tem “eleições rápidas organizadas com resultado no mesmo dia”.

“A força de um País está na força de suas instituições. Quem ataca as instituições, quem não acredita nas instituições não acredita no País”, disse Moraes nesta sexta-feira (20) durante participação no Congresso Paulista de Direito Eleitoral, organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

O ministro também disse que o desafio da Justiça Eleitoral no pleito deste ano será dar uma resposta rápida aos ataques e fake news disseminados pelas milícias digitais e cujos métodos já foram identificados. O objetivo, segundo ele é "rapidamente verificar, brecar e sancionar, para não deixar proliferar às vésperas das eleições”. “Podemos não pegar todos, mas os mais importantes vamos pegar”, afirmou.

Em sua fala, o ministro disse, ainda, que a Assembleia Nacional Constituinte reconheceu a importância do Poder Judiciário para conter “os avanços ditatoriais e populistas do Executivo”, junto com os demais Poderes. “O Congresso Nacional apostou no Poder Judiciário para conter arroubos antidemocráticos, conter o populismo e manter a estabilidade democrática. E acertou. Nós vivemos hoje o maior período de estabilidade democrática da República brasileira e as pessoas confundem estabilidade com ausência de turbulência. São coisas diversas. A estabilidade existe porque combate as turbulências”, afirmou.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: