Recomende este post!

Fechar

Enviar


Regras do Blog Edson Sombra

1 – Para comentar no Blog do Edson Sombra você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Sempre que comentar no Blog do Edson Sombra você poderá optar por assinar seu comentário com seu nome completo ou com o apelido que escolheu. A publicação do seu e-mail junto com o seu comentário também é opcional.

3 – Serão eliminados do Blog Edson Sombra os comentários que:

      a - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;

      b - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;

      c - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

      d - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

      e – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

4 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:

      a - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:
 

1 – No Blog do Edson Sombra, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

  • Fechar Enviar

Brasil, Brasília - Distrito Federal, 26 de junho de 2017

cartao-brb

Câmara do DF adia pela 2ª vez decisão sobre processo contra Sandra Faraj

Câmara do DF adia pela 2ª vez decisão sobre processo contra Sandra Faraj
"Estamos tomando uma decisão técnica e política por isso estamos tomando todos os cuidados necessários para que não haja retrocessos nesse processo, como alguma nulidade que leve ao arquivamento", afirmou o presidente Joe Valle (PDT).
Por Graziele Frederico e Gabriel Luiz, G1 DF/Foto reprodução tv Globo - 20/03/2017 - 12:19:38

A Câmara Legislativa do Distrito Federal adiou pela segunda vez a decisão sobre o futuro de Sandra Faraj (SD) na Casa, que responde a processo por quebra de decoro parlamentar envolvendo o uso da verba indenizatória.

 

Segundo a Mesa Diretora, o entendimento é de que existe suspeita de que uma das notas fiscais apresentadas pela defesa é falsa porque não tem registro na Receita Federal. Por isso, foi dado mais prazo para a defesa da distrital se pronunciar.

 

Sobre o assunto, a direção da Câmara decidiu convocar uma reunião interna nesta quarta-feira (22) às 9h. A cúpula da Casa pretende definir se mantém o processo em curso, enviando para a Corregedoria, ou se arquivam o pedido de abertura de processo contra a parlamentar.

 

"Estamos tomando uma decisão técnica e política por isso estamos tomando todos os cuidados necessários para que não haja retrocessos nesse processo, como alguma nulidade que leve ao arquivamento", afirmou o presidente Joe Valle (PDT).

 

O deputado Robério Negreiros (PSDB) adiantou o voto, pelo encaminhamento da abertura do processo. No entanto, disse concordar com a decisão da Mesa de oferecer mais prazo para defesa diante da informação da nota fiscal não registrada.

 

 Denúncia contra a deputada Sandra Faraj ganha um novo capítulo

 

A Mesa Diretora da Câmara analisa o pedido da ONG Adote um Distrital, do dia 24 de fevereiro, decorrente da denúncia do empresário Filipe Nogueira. Ele trabalhou no gabinete da parlamentar e ao mesmo tempo a empresa de sua mulher, a NetPub, prestou serviços para Sandra Faraj. Segundo o empresário, os serviços não foram remunerados, mesmo tendo a deputada recebido verba indenizatória para isso.

 

Uma definição sobre o caso estava prevista para sair em 13 de março, mas foi adiada uma primeira vez. Na ocasião, o vice-presidente da Câmara, Wellington Luz (PMDB), disse que a decisão era sábia. "Eu acho prudente para que se possa fazer Justiça, que tenhamos um tempo maior para análise dos documentos", disse então.

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo: