Recomende este post!

Fechar

Enviar


Regras do Blog Edson Sombra

1 – Para comentar no Blog do Edson Sombra você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Sempre que comentar no Blog do Edson Sombra você poderá optar por assinar seu comentário com seu nome completo ou com o apelido que escolheu. A publicação do seu e-mail junto com o seu comentário também é opcional.

3 – Serão eliminados do Blog Edson Sombra os comentários que:

      a - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;

      b - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;

      c - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

      d - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

      e – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

4 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:

      a - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:
 

1 – No Blog do Edson Sombra, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

  • Fechar Enviar

Brasil, Brasília - Distrito Federal, 25 de março de 2017

cartao-brb

Cármen Lúcia já divergiu de ministro da Justiça sobre dados prisionais

Cármen Lúcia já divergiu de ministro da Justiça sobre dados prisionais
Desde que Cármen Lúcia começou a visitar os presídios, ela tem alertado de que a situação iria explodir
Por Gerson Camarotti, G1 Foto: Reprodução/Facebook - 04/01/2017 - 12:10:44

Na última vez em que conversaram sobre a situação dos presídios do país, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, divergiu do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Foi durante uma reunião sobre segurança pública, realiuzada no final de outubro no Itamaraty, na qual participaram os chefes dos Três Poderes e as principais autoridades relacionadas ao tema.

 

Na ocasião, Cármen Lúcia fazia um relato dramático sobre a situação dos presídios no Rio Grande do Norte quando o ministro fez um comentário: "Esses dados não correspondem com os que eu tenho".


De pronto, a ministra, que havia visitado os presídios naquele estado, respondeu: "Esses números oficiais não têm relação com a realidade. Leveis esses mesmos dados ao RN mas a situação é bem diferente", segundo relatos dos presentes.

 

Naquelas mesma reunião, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, chegou a apresentar um mapa do Brasil com as facções criminosas em todos os estados. Mesmo assim, segundo relatos, as demais autoridades não demonstravam ter noção da gravidade da situação.

 

Desde que Cármen Lúcia começou a visitar os presídios, ela tem alertado de que a situação iria explodir. Nesta quarta, a ministra se reuniu com Alexandre de Moraes para tratar de eventuais medidas a serem adotadas pelo Conselho Nacional de Justiça e outras instituições em resposta ao massacre no presídio de Manaus.

  • Oclécio Aires da Fonsêca - 05/01/2017

    Jeito para resolver têm, é só alterar a Legislação Brasileira com penas mais duras e colocar o meliante para trabalhar e pagar sua estadia "sem remuneração alguma" como única forma de redução de pena, 3 por 1. Presídios Agrícolas Ruais - Fábrica de tijolos, para construção de hospitais, escolas, creches etc etc...? Muda Brasil, País da Corrupção, da Violência e de Autoridades burras e incompetentes.

  • Oclécio Aires da Fonsêca - 05/01/2017

    Jeito para resolver têm, é só alterar a Legislação Brasileira com penas mais duras e colocar o meliante para trabalhar e pagar sua estadia "sem remuneração alguma" como única forma de redução de pena, 3 por 1. Presídios Agrícolas Ruais - Fábrica de tijolos, para construção de hospitais, escolas, creches etc etc...? Muda Brasil, País da Corrupção, da Violência e de Autoridades burras e incompetentes.

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo: