Recomende este post!

Fechar

Enviar


1 – Para comentar no portal ContextoExato você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Sempre que comentar no portal ContextoExato você poderá optar por assinar seu comentário com seu nome completo ou com o apelido que escolheu. A publicação do seu e-mail junto com o seu comentário também é opcional.

3 – Serão eliminados do portal ContextoExato os comentários que:

      a - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;

      b - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;

      c - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

      d - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

      e – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

4 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:

      a - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:
 

1 – No porta ContextoExato, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

  • Fechar Enviar

Brasil, Brasília - Distrito Federal, 22 de outubro de 2017

"Foi uma inovação esdrúxula”, diz Reginaldo Veras, sobre adiamento de processos de cassação da Drácon

"Achamos um equívoco, até porque o dispositivo do sobrestamento não consta no regimento interno."
Por Helena Mader-CB.Poder/Tv Brasília - 15/03/2017 - 21:50:34

O deputado distrital Reginaldo Veras (PDT), novo presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Legislativa, foi o entrevistado da semana no programa CB.Poder. Durante a conversa, transmitida ao vivo pela TV Brasília, o parlamentar falou sobre a expectativa na Casa pelo julgamento da denúncia da Operação Drácon, marcado para a próxima terça-feira (21/03).

 

Para Reginaldo, a decisão da Mesa Diretora de sobrestar os processos de cassação até que haja um desfecho na Justiça das acusações “foi uma inovação esdrúxula”. “O bloco do qual faço parte, o Sustentabilidade e Trabalho, composto por mim, Chico Leite, Claudio Abrantes e Joe Valle, tem posição firmada: somos contra o sobrestamento. Chegamos até a pedir que os deputados se afastassem temporariamente dos mandatos para que pudessem preparar a defesa, o que não foi levado a sério”, comentou o distrital do PDT.

 

“Achamos um equívoco, até porque o dispositivo do sobrestamento não consta no regimento interno. Foi uma inovação esdrúxula feita pela Mesa Diretora que estava no comando da Casa”. O deputado, entretanto, diz que ainda não é possível apontar a culpa dos colegas acusados. “Não é querendo ser corporativista. Mas não podemos ser levianos de dizer que o colega fez ou não fez. Temos que ter acesso completo aos autos”. Para Reginaldo Veras, a denúncia contra os distritais acusados de envolvimento na Operação Drácon deve ser aceita pelo Conselho Especial. “Considerando a situação em que a gente vive e considerando a forte pressão da população e dos elementos probatórios apresentados até o momento, eu creio que a Justiça aceitará a denúncia”.

Compartilhe:
Compartilhe!

0

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:

Mais notícias acesse

ContextoExato

Mais notícias acesse

ContextoExato