Recomende este post!

Fechar

Enviar


1 – Para comentar no portal ContextoExato você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Sempre que comentar no portal ContextoExato você poderá optar por assinar seu comentário com seu nome completo ou com o apelido que escolheu. A publicação do seu e-mail junto com o seu comentário também é opcional.

3 – Serão eliminados do portal ContextoExato os comentários que:

      a - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;

      b - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;

      c - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

      d - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

      e – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

4 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:

      a - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:
 

1 – No porta ContextoExato, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

  • Fechar Enviar

Brasil, Brasília - Distrito Federal, 23 de novembro de 2017

MPDFT investiga compra de rádios da PM que não funcionam

MPDFT investiga compra de rádios da PM que não funcionam
Coronel da PMDF responsável por contratos é preso pelo MPDFT
Por Ana Maria Campos-CB.Poder - 14/11/2017 - 17:25:35

Entre os contratos da Polícia Militar do DF sob investigação está o relacionado à aquisição dos rádios de comunicação das novas viaturas compradas no fim do ano passado.

 

Os equipamentos não estão conectados ao sistema de comunicação da PMDF e não servem para o propósito definido no edital de licitação. Num teste realizado pela própria PMDF, os rádios foram reprovados por um especialista. Mas ele foi afastado do cargo.

 

Segundo levantamento no sistema de acompanhamento de contratos da PMDF, cada rádio custou R$ 6645,00.

 

A investigação é do Ministério Público do DF, sob a coordenação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), das Promotorias Militares e do Centro de Inteligência (CI), em conjunto com a Corregedoria da Polícia Militar do DF, na Operação Mamon.

 

Nesta manhã, o diretor de Logística e Finaças da PMDF, coronel Francisco Feitosa, foi preso pelos promotores de Justiça, sob suspeita de extorquir empresários.

 

Coronel da PMDF responsável por contratos é preso pelo MPDFT

 

O diretor do Departamento de Logística e Finanças (DLF) da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), Coronel Francisco Eronildo Feitosa, foi preso nesta manhã (14/11) no âmbito da Operação Mamon.

 

Investigação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, por meio das Promotorias de Justiça Militar – PJM, do Centro de Informações – CI e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO, apontou a existência de uma associação criminosa que supostamente praticava extorsão para liberar contratos firmados pela Polícia Militar do DF.

 

Segundo promotores de Justiça, há suspeitas de cobrança de propina para liberação de faturas para manutenção de viaturas. Mas a operação apura indícios de exigências de extorsão contra empresários em praticamente todos os contratos da PMDF.

 

As investigações foram realizadas pelo MPDFT com apoio da Corregedoria da PMDF. Mamon é um termo derivado da Bíblia, usado para descrever a cobiça.

 

Além da prisão, os promotores realuzaram buscas e apreensões na DLF, que funciona no prédio do comando-geral, e na casa do coronel Feitosa.

 

O coronel da PMDF já se envolveu em outro episódio controverso. Ele também foi acusado de ter tentado beijar uma jovem de 22 anos, funcionária de um bar, em Vicente Pires. Segundo a jovem, Francisco Eronildo estava armado e com sinais de embriaguez. Em depoimento, a vítima afirmou que o policial teria forçado um beijo e dito palavras de baixo calão. As imagens do circuito interno de câmeras do bar filmaram a agressão.

Compartilhe:
Compartilhe!

0

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:

Mais notícias acesse

ContextoExato